Saturday, May 31, 2008

LAS ESCUCHAS EN ESPAÑA

A juiz presidente do Tribunal Constitucional Espanhol, María Emilia Casas Baamonde – respeitada Catedrática de Direito do Trabalho e antiga Vice-Reitora da Universidade Carlos III – foi escutada pela Guardia Civil. Foi gravada uma conversa, onde responde a um pedido de opinião de uma advogada, amiga sua, mas arguida em crime de homicídio sem que a magistrada o soubesse. E sem que, nessa conversa, isso fosse sequer aflorado. Todavia, o tema da opinião (pedida e dada) era sobre matéria do processo. Em Espanha os magistrados judiciais não podem prestar qualquer tipo de assessoria jurídica, compreensivelmente. E os juristas estão a discutir (febrilmente) se a mera opinião, pode ser assessoria. Contra Ordem entende que toda a assessoria jurídica é “mera opinião” e o que lhe dá peso é a consistência própria e o prestígio intelectual de quem a emite. Todavia, é preciso saber se, não tendo os magistrados judiciais mais direitos que os outros cidadãos, devem ter tão poucos, ao ponto de não poderem trocar impressões sobre questões de Direito, em abstracto, com um amigo, ainda que esse amigo esteja em sérios apuros (e por mais justificados que esses apuros sejam). O que está em causa é saber se uma conversa telefónica com estas características pode ser escutada, gravada e objecto de processo. Isso é que é perturbante. Vamos ver se o Supremo Tribunal resolve as coisas de molde a que tais inquietações se não repitam. O debate dos juristas sobre esta questão, tal como vem publicado, é – como de costume? – uma discussão de atrasados mentais, incapazes de discernir o problema substancialmente presente. E esse é o da escuta e processo de uma conversa destas e por uma conversa destas. Por ser evidente (excepto para juristas?) que tal escuta e tal processo, in casu, lesa interesses e direitos infinitamente mais importantes do que aqueles que, em teoria, visaria proteger. Quanto à personalidade da juiz presidente do Tribunal Constitucional, sublinha-se que é uma querida. Senhora de uma presença admirável. E, evidentemente, uma sábia. Compreende-se que a “derecha española” preferisse ver na presidência do TC uma personalidade com cara de Acção Católica, ou com cara de prisão de ventre (coisas substancialmente idênticas). Preferências à parte, vejam lá se tiram a notável senhora deste filme (muito) depressa, sim?...

Wednesday, May 28, 2008

A NATO EM TREINOS

A NATO treina o "exército do Kossovo". Interessante. Receberam mandato da ONU para tais treinos? A NATO não era uma organização defensiva? O conceito de defesa integra agora dar um exército às máfias albanesas? E que manobras treinam? Aprisionamento e transporte de mulheres cativas? Escolta de comboios de mão de obra ilegal? Resistência, evacuação e fuga às polícias europeias? Dinamitação de Igrejas Ortodoxas?

Monday, May 26, 2008

OUTRA EUROPA

A “grande Europa” sempre se pensou como uma expansão das lideranças ocidentais. Ideia estranha, face a cuja estranheza os resultados se traduzem em simples desfasamento. Nas coisas mais pequenas, como nas grandes. A grande Europa traz, afinal, uma mudança dos padrões do gosto, parece. Nos três primeiros lugares do (frívolo) Festival da Eurovisão ficaram três países ortodoxos. O vencedor (a Rússia) canta-se diante de nós. Mas as outras canções também podem ouvir-se como metáforas políticas. “Tens que me descobrir”, “não sou um livro aberto”, canta a Grécia. (Claro). “Vais ver o que mantive escondido”, “estás prestes a arrepender-te”, diz a Ucrânia. (Nem isso nos surpreenderia, acrescente-se). “De pé, como uma árvore ao vento”. “Nada moverá esta montanha”, proclama a Rússia. (Quem duvidaria?)… “Para a luta acabar, tens de me abraçar”: - Sim, lindíssima e teimosa Arménia. Tal abraço está longe de ser imposição desagradável, aliás.

Wednesday, May 21, 2008

PARVAGAL NEWS

A irrelevante terra de Gales a sul do Minho agita-se de novo com um pronunciamento de Júdice. Trata-se de um esparvoado nacional-católico, com tiques de fascismo desde os tempos da sua formação universitária. Falhou todos os objectivos políticos na vida, à excepção, talvez, de capitanear a bem sucedida polícia política dos proxenetas de crianças órfãs. Decidiu agora bramar contra a “ditadura” de Marinho Pinto na Ordem dos Advogados em Portugal. Logo ele, que ousou instaurar a censura estatutária, sob a forma de exame prévio das comunicações públicas (para os outros, mas para todos os outros) e fez uma polícia política em defesa do “país da Casa Pia”. Também instaurou a missinha de "Santivo", alinhando confessionalmente a corporação. Ora, quando – em geral falando - um canalha brama por democracia, refere-se, evidentemente, à liberdade dos canalhas. Parece-nos ser esse o fenómeno. Chama populista a Marinho Pinto, o actual e esforçado bastonário. Teme talvez que se vire contra si o bendito estatuto Júdice, feito por si próprio, e com o qual já foi vergastado pelos menos duas vezes. Falou desta vez em terras do Garb, em Faro. A Sharia reserva a isto, supomos – na mais benevolente interpretação decisória - umas trinta bastonadas. Em público. É dar-lhas.

Tuesday, May 20, 2008

Nasr Hamed Abou-Zeid

A experiência da globalização sente-se com estrutura teológica na pretensa evidência da inelutabilidade das regras de mercado às quais ninguém pode opor-se. Como se aqui houvesse um Deus omnipotente, mas desprovido de qualquer Clemência. Todas as (pretensas) regras da economia globalizante omitem a justiça social. A opinião vem de Nasr Hamed Abou-Zeid, professor de Estudos Islâmicos na Universidade de Leiden, numa entrevista magnífica ao Al Ahram. Compreende-se o seu interesse pelo Sufismo (que de resto estende… fala em sufismo cristão, judeu e budista, terminologia interessante a sublinhar, parece, a plausível consistência comum dos misticismos ao menos na universalidade da sua tensão com os canonismos).

Centra a sua atenção em Averrois e Ibn Arabi. Leitura absolutamente obrigatória. Entusiasmante. Visa evidentemente uma “leitura actualizada” do Corão. Claro. Não pode obedecer-se a nenhuma Lei sem determinar a sua vontade actual. Parece evidente. Tão evidente como a resist ência dos dogmatismos canonistas. Contra Ordem não dava saltos assim desde a sua descoberta de Al Afghani, cuja fotografia aqui reproduzimos. Temos de facto a sensação de ter retornado à era dos grandes mestres. Os moderados e os radicais parecem-lhe substancialmente o mesmo. Mais um homem magnífico e este para sorte nossa, está mesmo, mesmo ali … Vamos ouvi-lo a Leiden?

Monday, May 19, 2008

HRISTOS A ÎNVIAT!

Mons Iosif Pop, Metropolita Romeno da Europa Ocidental - que visita o território Português durante esta semana - presidirá à sagração e entronização do novo Bispo Romeno de Espanha e Portugal no próximo dia 25 em Madrid. Mons. Timotei é o primeiro Bispo Romeno sagrado para o território, que todavia teve três bispos locais (portugueses) sagrados (e excomungados) pela Santa Igreja da Polónia de cuja metrópole ibero-americana só subsistem, hoje, o Brasil e a memória de Gabriel de Lisboa que, tendo abandonado este mundo como Bispo Canónico, foi o primeiro a liderar o regresso destas terras à Ortodoxia. Também o Patriarcado Ecuménico sagrou já para a Península Ibérica o Bispo Policarpos cuja Cátedra pontifical está em Madrid. E em Madrid ficará o novo Bispo Romeno. Nem a Igreja Romena, nem qualquer outra Igreja Ortodoxa conseguiu até hoje construir um só templo em Lisboa, não obstante a persistência dos esforços. Se o país não quer, não tenha: governem os Bispos Ortodoxos a partir de Madrid. Subsista Lisboa como pequena cidade de província, até nisto.

ХРИСТОС ВОСКРЕСЕ!

A Santa Igreja Russa entronizou aos 18 de Maio o Primeiro Hierarca da Jurisdição de Fora das Fronteiras. O Santo Metropolita Hilárion de Sidney sucede assim ao Santo Metropolita Lauro obreiro da restauração da unidade da Igreja Russa. Mnô Gaya Leta!

GREGOS, CLARO!

O Bloscope é peremptório e assinala com a Bandeira da Santa Hélade todas as nossas intervenções. Os gregos são inconfundíveis, não é?

DIREITOS HUMANOS EM PORTUGAL

Dificilmente poderia conceber-se pior. Em todos os campos e com os exemplos mais grotescos. Podíamos começar pela liberdade religiosa. As Igrejas Ortodoxas no território não conseguem construir um único templo e Lisboa é a única capital do continente europeu sem uma só Catedral Ortodoxa de nenhuma jurisdição, apesar da Ortodoxia ser a segunda confissão religiosa do território. Podemos continuar pela tortura, devendo então focar os indícios de extorsão de confissão sob tortura ao longo de um ano, passando pela (completa ausência) da liberdade de imprensa e pela perseguição de quem verbaliza o Direito. Nesta terra tudo tem acontecido.

A ACED presidida pelo Prof. Doutor António Pedro Dores (professor de Sociologia e destacado militante dos Direitos Humanos em Portugal) publicou recentemente elementos documentais importantes.

O primeiro, no plano dos factos, dá conta de indícios suficientes de tortura de João Cipriano e Leonor Cipriano (familiares da Joana, criança desaparecida no Algarve e cujo rapto parece objectivamente protegido pela extorsão de confissão de homicídio sob tortura, pelos mesmos polícias que pretenderam hostilizar o casal MacCann e são arguidos em processo criminal por tortura e cumplicidade com a tortura). Marcos Aragão Correia e José Preto investigaram o caso e formalizaram relatório.

O segundo reporta-se ao tratamento dado a António Pedro Dores em razão das denúncias sobre a situação prisional e vem bem trabalhado na contestação criminal assinada por José Preto. O terceiro, reporta-se ao silêncio em torno da conferência de imprensa da ACED em Lagos (Algarve), tendo sido o tema da tortura ignorado pela imprensa portuguesa (só a TVE se interessou pelas questões de princípio).

António Pedro Dores concedeu ao Pravda uma importante entrevista sobre estas questões, esteja atento. Será a imprensa Russa o recurso para a liberdade de expressão dos portugueses? A publicação da entrevista não deve tardar.

Portugal, olhado do ponto de vista da prática institucional e da mentalidade dominante, está fora do espaço europeu de civilização.

Wednesday, May 14, 2008

Tadic negoceia

Em causa uma coligação. Pretende coligar-se o impossível. De um lado a intransigência quanto à pseudo independência do Kosovo que faria nascer, no berço históprico da Sérvia, um estado-vassalo em torno de uma base militar americana, cercada por máfias subsidiadas pela União Europeia. Do outro a esperança da integração europeia (!) … Os Sérvios devem procurar inspiração na sabedoria clarividente de Stefan Lazarovic: antes os turcos que os cruzados (q.e.d.), enquanto não for possível viver numa terra sem turcos nem cruzados. É preciso ser fiel à História, para que a História nos seja fiel. “Antes o turbante turco que a mitra latina”, como bem se sabia em Constantinopla, diante de Mehmet II. “Antes o chicote russo que a liberdade alemã”, como bem o sabiam os eslavos do Séc. XIX. Possa Deus preservar a Santa Pátria Sérvia. Porque há realmente um reino de sombras onde os homens são emasculados para alimentar os cães.

Monday, May 12, 2008

NOVA CRISE SÉRVIA

Tadic venceu as eleições como partido mais votado com 39% dos votos expressos nos resultados ainda provisórios. Vem seguido do Partido Radical Sérvio com 28,5% e pela coligação de Kostunica com 11,2%, seguido do Partido Socialista Sérvio com 8%.

A renitência face à “Europa” agressora subsiste maioritária, ainda que irracionalmente estruturada face às urgências do momento. Os húngaros trouxeram apoio suplementar aos federastas de Tadic. A Hungria, como se sabe, foi elevada pela Democracia Europeia ao papel político marcante de capital mundial da Pornografia, com 250.000 mulheres de Budapeste a trabalhar (por assim dizer) naquela “indústria”.(Provavelmente toda a população feminina em idade fértil da Cidade).

Pode impor-se a prostituição do Estado a um país, contra a maioria do seu povo?... Ainda que as vitórias tácticas possam representar derrotas estratégicas, a resposta provisória é afirmativa. Pode.

Tadic já declarou que Kostunica “nunca mais” será primeiro-ministro. Correu entretanto a demitir os altos quadros da Segurança Interna por temer pela própria vida, segundo tudo indica.

Quanto à vitalidade intelectual dos Sérvios, o Teatro Nacional de Belgrado mantém a sua presença de excepcional intensidade. Belgrado é uma das cidades mais inteligentes da Europa. E o Teatro Nacional levou agora à cena “A neurose Sexual dos nossos pais” de Lukas Barfuss, jovem autor. Um suíço nascido em 1971. A encenação é de Tanja Mandic. O Teatro cita uma frase que há-de ecoar de modo estranho em Belgrado nesta segunda-feira: “To me people are at their most human when they are living with all their contradictions and attempting to handle them. All of us are heroes in the same way. However, being weak, failing, there’s something very personal and charming about that.”

Simic, um poeta sérvio da América foi recentemente distinguido e é citado pela Santa Igreja Sérvia, em palavras que também hoje ecoam de modo estranho: “At least one crucified on every corner./The eyes of a mystic, a madman, murderer./They know it's truly for nothing,/The eyes do./ All the martyr's sufferings/On parade. Exalted mother of us all/Tending her bundles on the sidewalk, Speaking to each as if it were a holy child...

O Semanário Sérvio, interessante presença editorial dos Sérvios em Espanha, publica a completa informação sobre as votações, cujos resultados são ainda provisórios.

FIND MADDIE!

Loading...