Wednesday, December 28, 2011

SANTO SÍNODO RUSSO

O ano de 2011 foi fértil para a Santa Igreja de Todas as Rússias e a Santa Hierarquia sente-se (organizacionalmente falando) mais perto do laos e felicita-se pela adaptação canónica traduzida na instituição de uma comissão episcopal entre concílios. Esta permite resposta mais rápida e mais participada aos problemas de mais urgente gravidade, sem exclusão da disciplina canónica da decisão conciliar. Agrada-nos que a Santa Hierarquia não olhe com desagrado os resultados do seu intenso labor desenvolvido neste ano. Vistos de fora, parecem aliás brilhantisimos. Melhor há-de ser possível e será certamente feito, mas o que se fez ronda a genialidade.

ENTREVISTA DE SS O ARCEBISPO HIERONIMOS I AO FILELEVTHEROS

"Jovem que não se encoleriza não amadurecerá como homem equilibrado". "É preciso conduzir esse impetuoso caudal (da emotividade juvenil) a terrenos férteis". Às outras perguntas, o Santo Padre responde de formas interessantes. Porque é que foi ao Qatar? -"Porque faço o que o serviço da Igreja exige". A regulamentação das relações com o Patriarca Ecuménico é satisfatória? -"É certamente melhor que os textos anteriores, mas, quarenta anos depois, precisa de adaptação". O que pensa da separação da Igreja e do Estado? (esta é especialmente divertida) -" Não temos esse problema na Hélade". O Santo Padre sublinhou ainda a (estúpida?) indiferença dos "países prestamistas" quanto à dignidade dos homens e das Pátrias (entre as causas evidentemente atendíveis da cólera juvenil). Está disponível uma versão francesa, no site das versões francesas destas coisas, ou seja, aqui. Nesta entrevista é importante a informação quantificada do apoio social fornecido pela Igreja à Comunidade Nacional. Cento e cinquenta mil refeições gratuitas diáriamente servidas é definitivamente alguma coisa (designadamente do ponto de vista da dimensão dos problemas sociais em presença). Noventa e seis milhões de euros (da Igreja) distribuídos em apoio social (pela Igreja e neste ano) não é igualmente coisa que possa olhar-se sem assombro. Eis pólá eti Déspota!

O EXECRANDO BARROSO

Ousou enviar ao Santo Padre Hieronymos I, Arcebispo de Atenas e Primaz Bem Amado de Deus da Santa Igreja da Hélade, uma carta com duas páginas de coisa nenhuma. É bem certo que o fenómeno está bem caracterizado desde há anos e se traduz na habilidade da criatura, única no seu género, de nada dizer em cinco línguas. A única excepção à vacuidade vem na grosseria do marçano - na qual se está mesmo a ver aquelas ventas de pão de quilo - e o marçano trata então o Santo Padre por "you". O alarve não está mal... A besta tuga, por cujo gabinete se escoam fortunas em despesas inúteis, não teve uns cobres para a assessoria de protocolo, não? Pensará a criatura - se acaso pensar - que é o mesmo falar com um Hierarca das Igrejas de Cristo ou com uma qualquer viscosa e parda criatura da igreja da pederastia a que está habituado?

RECOLHIDOS À PÁTRIA ESPIRITUAL

Estão enfim extintos os últimos ecos do carnaval americano no "natal" da pederastia papista. Olhemos agora para Jerusalém, Moscovo e Belgrado, para os pastores e fiéis que aí, como em mil lugares, vivem os últimos dias de jejum neste Advento. E recolhidos à Pátria Espíritual - intangível a todo o inimigo e aberta a todos os que a amam - preparemos o fim de um ano sórdido e preparemo-nos para a nova agressão pela sordidez no ano que se segue. Toma o teu arco, Emanuel, porque ele faz temível a tua dextra.

Tuesday, December 27, 2011

ABERTURA DAS CORTES GERAIS

São muitos os habitantes da isolada faixa litoral abaixo do Rio Minho que olham com esperança a desejável integração sob a coroa da Espanha, com ou sem os territórios históricos de Aragão e Navarra, e por isso importa examinar a vida institucional que - tão menos bem - vem integrando as grandes nacionalidades históricas da Península. E hoje abriram as cortes. Com um grande sublinhado pelo Presidente do Senado quanto ao papel da Coroa e à sua presença clara no consenso traduzido pela constituição de 78. Estes sublinhados só se fazem quando a coisas o exigem, ou seja, quando os consensos estão esquecidos. E estão. Entre os deputados que aplaudiam os príncipes e a filha do taxista, havia umas escassas dezena de heróis de braços serenamente caídos. E isso está muito bem. O Rei fez uma intervenção muito significativa apelando a duas matrizes muito diferentes que só ele conseguiria deixar a par: invocou o bem comum (matriz tomista e cara aos nacional-católicos que sob essa invocação perpetraram inovidáveis massacres) mas invocou também o interesse geral (referência que não precisa de grandes apresentações, mesmo na ignorante tugária, n imunda tugária). O triunfalismo dos eleitos pelos dez milhões de votos (sobre quarenta e sete milhões de habitantes) é visível. E estas festividades desta direita não costumam trazer nada de bom. Ao lado estão os territórios das nacionalidades históricas que sempre sepronunciaram, sem quebras, pelo nacionalismo independentista e que sem quebras têm sido relativizadas, subalternizadas, ultrapassadas, ignoradas, remetidas para a mera dignidade autárquica da região, onde no mínimo (dos mínimos) lhes incumbiria a de estados federados, senão mesmo confederados. É um sério problema. E a ideia em cujos termos a estratégia do mal menor, aceite pelas esquerdas e nacionalidades na Constituição de 78, poderia ser lida como solução definitiva disto é o caminho mais rápido para a desarticulação. Mas resta a tugária. Pesem embora as promessas dos ambientalistas, a coisa não alaga. Não afunda. Não foi submergida. Não congelou. Não ardeu. É um problema. A extensão da soberania da Coroa da Espanha que lhe resta a Ocidente, parece boa ideia. E a tugária, lugar que é um vasto asilo psiquiátrico, sempre se mostrou dominada por este sentimento de ser necessário que alguém tome conta dela. Um Bourbon, mesmo decrépito, pode perfeitamente olhar-se como infinitamente preferível à corja local que imagina governar o asilo.Achamos que sim. Mas ainda assim não achamos que isso possa ser solução definitiva. Há aqui a grande novidade da velha Península que renasce institucionalmente, porque nunca morreu materialmente.      

Sunday, December 25, 2011

A LOUCURA DO CHUI AMERICANO

Não usar cartão de crédito faz-nos suspeitos de terrorismo. Livrem-se portanto de recusar viver a crédito. Quem não vive acima das suas possibilidades é provavelmente um inimigo mortal da pátria na perspectiva da besta policiesca lá daquela (vasta) coisa. E as indicações de denúncia às autoridades são claras. Também não convém andar nervoso por aí. Se estiver tenso é suspeito. De terrorismo, claro. As indicações para alertar  as autoridades são claras.

ATENTADOS ANTI-PAPISTAS NA NIGÉRIA

A resistência islâmica nigeriana alvejou neste dia (celebração de Natal para os cristãos ocidentais, de calendário gregoriano ou juliano rectificado) as celebrações papistas no território da Nigéria. Resultaram feridos sem possibilidade de assistência pelos sistemas de saúde locais. A odiosa presença do papismo e a sua asquerosa insistência em manter uma parasitária presença na África subsahariana desencadeia, por parte de não raras impaciências, reacções como esta. Era preferível a todos os títulos a conduta do KGB quanto à União Soviética. Passava-lhes pelas armas os ministros de culto que ali tentavam a entrada clandestina, "porque eram espiões" (como um dia disse um dos directores, com a maior simplicidade, a um jornalista de televisão). Eram espiões. Claro que eram. E continuam sendo. Mas os laicados deviam ser poupados. Não cremos que, mesmo em África, entre os leigos haja espiões.Mas é preciso arracar as patas do papismo em África, como aliás em todo o lado, excepto talvez no que diga respeito à praça do Vaticano, em Roma, onde aquilo desempenha importante papel fólclórico que aos italianos não desagrada. E o folclore não merece repressão. Pode ficar como memória dos tempos em que um velho pederasta, chefe de pederastas, reivindicava a soberania universal e se designava como "vicarius Filius Dei". Isso merece ficar no folclore. E talvez deva ficar no folclore.Em tudo o mais é descolá-los. À tapona, se necessário (e parece que o é).

Saturday, December 24, 2011

VENDA DA EDP

Fiel à política de perder os dedos e ficar com os anéis, os vendedeiros da governança venderam, aos chineses, a EDP (companhia de energia eléctrica da tugária). Isto não merece comentário de maior, embora prefiramos os chineses a quaisquer outros que ali estivessem. Em zapping, porém, detectámos o (muito ampliado) Marques Mendes a comentar a coisa. Ocorreu-nos então que este fenómeno é ele próprio e provavelmente a incarnação das maravilhas da electrónica: tão pequenino, embora, naquilo cabem merdas que não acabam... E essa perspectiva muda completamente a experiência de ouvir o Micro-Mendes. Torna-se coisa hilariante. Experimentem. 

A PEDERASTIA PAPISTA NA TUGÁRIA

O panascóide clero papista não cabe em si de felicidade suspeita. Logrou-se substituir o anão timido - todo ele invaginado em tudo - que foi bispo das mães de bragança, por uma criatura menos anómala que quase passa por homem normal. Mas que temos nós com isso? E que importância tem isso para que à igreja da pederastia se escancarem as portas da propaganda no canal público de TV?... A entrevistante, pobrezinha, sem saber exactamente o que fazer, fazia-lhe "olhinhos" (coitada).  (O homem disse que tinha gostado de uma mulher algures no passado). E a desgraçadinha consentiu-lhe (talvez por isso) todas as banalidades, exceptuado o coito em directo, que eventualmente revelaria alguma capacidade de mobilização das audiências. Merda de terra. E merda de gente. Nem exigimos à apresentadora que saiba falar com um sacerdote, que aquilo não é um sacerdote ( e se o fosse ela teria descoberto imediatamente o modo e a atitude de falar com ele). Mas talvez vá sendo o tempo de nos tirarem da frente estes espectáculos deploráveis. 

NOVAS MANIFESTAÇÕES RUSSAS

Parte bastante visível da oposição - com grande percentagem de jovens - voltou a manifestar-se contra o que pretende ser a burla eleitoral das últimas legislativas. Medvedev respondeu bem. E Putin não viu mal. Uma coisa é a exigência de aperfeiçoamento da vida institucional. Outra, bem diversa, é aceitar ser instrumento da CIA (entre outros) que ali gastam uns milhares de milhões para desgaste. Lembramos que na Bielorússia o próprio embaixador inglês chegou a juntar-se aos manifestantes em Minsk, quando ali tentaram uma "revolução alaranjada" que acabou (e bem) com a cadeia para os polacos que o tentaram, sem necessidade de expulsar o embaixador inglês que bem o teria merecido. Na Rússia não vai esta escumalha tão longe. Mas vai longe de mais, mesmo assim. Nada temos a apontar a quem ama a sua Pátria e quer que as coisas aí melhorem. Mas a nossa indulgência para o país das fraudes eleitorais da Florida e para os repressores brutais das manifestações de Berkeley e de Nova Iorque, a nossa indulgência para com tais bestas é nula. Em todo o caso, a Rússia está a salvo. Seguramente a salvo. (E o Kazaquistão também não é abalável com essa facilidade, nem a União Aduaneira Eurasiática levada a cabo pelas três primeiras potências que a instituíram pode ser abalada assim). Os defensores dos "direitos humanos" à moda de Abu Graib e Guantánamo deviam acalmar-se, não vão esgotar-se-lhes os fundos mais depressa do que imaginam.

HOMUNCULUS MERDARUM

O idiótico Sarkozy imaginou poder abrir mais uma crise. E abriu-a. Com a Turquia. Evidentemente, nenhum de nós negará alguma vez a sua simpatia ao admirável povo arménio e ninguém deixará de olhar tal massacre com repulsa (a repulsa do próprio Ataturk, que jamais aprovou tal cobarde sordidez). Mas chamar àqueli genocídio, e punir criminalmente quem o discuta, isso é toda uma outra história. E começa pelos direitos que esta gente se arroga de limitar debates. Erdogan fez então bem. Quer discutir o genocídio Francês na Argélia. Aquela horrivel prática de cortar as mãos, ou a língua, aos professores de árabe para que esse ensino não pudesse prosseguir, isso, por acaso, foi indemnizado?... Os turcos poderiam talvez aprovar uma lei que puna com prisão efectiva de cinco anos quem ousar pôr em causa o genocídio da França na Argélia. É preciso responder-lhes à letra. Não basta responder-lhes, ou retaliar. É preciso fazer-lhes o mesmo. Rigorosamente o mesmo. O idiótico Sarkozy já tinha feito mossas bastantes com a sua estúpida oposição à inserção da Turquia na União da Europa Ocidental (fazendo o jeitinho aos pederastas papistas que gostam de passear por Istambul incógnitos). Mas o idiótico Sarkozy ultrapassa-se em imbecilidade todos os dias. Já nem o homem da CIA que o pariu conseguirá protegê-lo. Felizmente. Villepin reapareceu, na cena interna. Não se sabe se irá longe. Mas o facto de não ser um rufiazito gingão e húngaro terá certamente o seu peso na direita francesa para quem sempre contou a forma das coisas.  

Friday, December 23, 2011

A DURA SITUAÇÃO SÍRIA E O MAIS QUE ESTÁ A VER-SE

O atentado em Damasco traz-nos a linguagem combatente de outros lugares onde as posições estão extremadas. É dura. Tanto que, no confronto com isto, os soldados da besta otanasca se suicidam em números às vezes superiores aos das mortes em combate, ou em atentado. (Soldados de sodoma, têm os esfincteres alassados). Mas esta dureza, envolvendo as terras que são as sedes históricas dos Califados (Iraque e Síria) vai crescendo à medida que os modelos ocidentalizados de Estado vão enfraquecendo. O grande problema é que este radicalismo sunita parece-nos pouco oriental. É certamente uma posição de árabes. Mas é pouco árabe esta intransigência relativamente ao que pensam e sentem os outros. Parece-nos estranha, entre árabes, esta luta religiosa contra outras facções do Islão, ou outras religiões do Livro. Pouco árabe e pouco islâmica. Bem entendido, há roupagens religiosas que devem ser combatidas como posições políticas nefastas, sustentadas por inimigos cruéis cuja conduta os excluiu da possibilidade do perdão dos homens, senão do perdão de Deus. (Esse é o caso do execrando papismo). Mas a ruptura dos sunitas no Iraque e na Síria, com as radicalizações à vista, traduzem uma evolução rápida que, uma vez mais, ultrapassou a estratégia e conspiração americanas na região, sustentada nos rios de dinheiro (rios a secarem) e no próprio emprego de homens seus (sempre frágeis) no terreno. Os sunitas, sobretudo os radicalizados, tentarão uma guerra civil à escala da região, porque ali não há fronteiras inquestionáveis entre o Iraque, a Jordânia, a Síria, o Líbano e a Palestina. Mas isto também se estende à Arábia e aos emiratos. É a mesma (grande) gente.  E quanto a isto os Chiitas não têm discordâncias fundamentais. O problema é que as diferenças religiosas se consubstanciam em projectos políticos diversos (a reconstrução sunita do Califado é um projecto exaltante ao qual a tradição Chiita não pode deixar de opor-se em termos não menos exaltantes) e isso pode manter a região em guerra civil entre árabes durante décadas, ideia que não desagradará aos americanos e aos israelitas. Mas devia desagradar aos dirigentes sunitas, como seguramente desagradará aos chiitas. A tentativa de neutralização recíproca pela tentativa recíproca de eliminação das direcções políticas respectivas, lança a guerra ao invés de a evitar (como está a ocorrer no Iraque). Era melhor que se centrassem no inimigo comum. Os dirigentes religiosos do Irão e a Casa Real da Jordânia têm especiais responsabilidades morais quanto ao êxito da inviabilização desta sub-rogação do extermínio que se preparou e agora assume já os primeiros sinais de dinâmica própria. É preciso parar isto. Talvez a China e a Rússia ajudem. Mesmo a Europa ocidental não sobreviveria incólume a um incêndio, com estas proporções, do Mediterraneo ao Golfo Pérsico. O que está a gizar-se é perfeitamente possível. Apesar de ser impensável. É um estranho resente de Natal do sindicato dos bandidos reunidos hoje no carnaval funerário organizado a pretexto da morte de Vaclav Havel.

VACLAV HAVEL E O FUNERÁRIO CARNAVAL PAPISTA

Aproveitando o impacto do desaparecimento de um velho combatente, os execrandos papistas transformam-no numa ocasião de propaganda e reúnem, com pompa e à volta do caixão, um verdadeiro sindicato de bandidos. Sarkozy, Merkel e mais a americana-checa com cara de goraz que programou e executou as atrocidades da OTAN na Sérvia e é cúmplice do assassinato de Milosevic - e da morte do presidente da Kraína - sob custódia do "tribunal ad hoc" em Haia. Os genocidas custodiadores do homicídio vão homenagear um morto. Não faltam sequer as opas folclóricas dos "cavaleiros de malta" ficção carnavalesca da igreja dos pederastas, que imagina ter uma "ordem" extinta (e bem extinta) por Napoleão que se ficcionava, ele próprio, Imperador do sacro império romano-germânico. Tal título de legitimidade ninguém o recusou a Napoleão, a não ser o Tsar, que era, evidentemente, sucessor dos únicos prícipes bizantinos reinando em terra não submetida por inimigo externo. No funéreo carnaval de Praga, a igreja da pederastia visa, pela pompa, anestesiar a decepção de também esse grande país da Europa Central a cujos povos se prometeu a prosperidade e só se entregou a miséria. São povos para quem o único corolário visível da liberdade económica é a dos pornógrafos americanos e alemães que lhes insulta a terra todos os dias. Desapareceu a grande referência da autoridade moral na República Checa. Bom. A nova crise revelará novos líderes. A igreja da pederastia que se aquiete. (Já não há paciência para aturar aquelas ventas acastanhadas e linfáticas de olhinhos mortiços, iguais em todos os lugares da terra e com os mesmos efeitos e condutas em todos os lugares). Recomenda-se que se olhe para as procissões protocolares. Os seminaristas em Praga trarão os mesmos estigmas de doença mental que os de Viena (nas exéquias carnavalescas de Otão de Habsburgo) e os de Madrid (na celebração do execrando Ratzinger). São todos iguais em todos os lados. E inspiram universalmente o vómito. Quanto ao sindicato de bandidos, isso ir-se-á dissolvendo por si e ao longo dos próximos tempos. Sarkozy não dura muito. Merkel também não e as desgraçadas americanascas que ali vão -infectar a linda cidade de Praga já morreram (embora ainda não o tenham notado, que são tão estúpidas mortas como o foram em vida).

UM FUNERAL DE ESTADO

A morte do presidente norte-coreano levantou um coro de tentativas de ridicularização na ridícula imprensa de um ocidente que se desmorona, vítima dos seus próprios ridículos. E esta é uma boa perspectiva de balanço. Os alegados ridículos da coreia do norte não fizeram desmoronar o regime, apesar de todas as (gigantescas) pressões externas. As ridicularias do moribundo ocidente fazem-no desmororar-se sem que ninguém lhe toque, ou tenha tocado (até agora). Quem será o mais ridículo? A campanha lançada pelo idiótico Bush contra os norte coreanos, teve como resultado final, exactamente o que se pretendia evitar. Queriam barrar o caminho ao armamento nuclear. E abriram-no. (O primeiro teste foi em 2006, se não erramos e o idiótico Bush está pois de parabéns, já que outra vez logrou fazer o contrário do que pretendia, provocando, exactamente, quanto queria evitar). Porque os dirigentes norte coreanos, indiferentes aos risos alheios, são militares. E determinam-se exactamente assim. Como militares. Resistirão a todas as pressões do inimigo na sua fortaleza sob cerco. Se esta vier a ser destruída (a que preço o seria?) resistirão em guerra de libertação. Isto é ridículo? Confessamos que nos não dá especial vontade de rir. Todavia aquilo parece uma sociedade que não há, uma coisa saída das gravuras dos livros de História. Isso é verdade. E continuará a sê-lo. Mas é na intransigência quanto aos princípios que os caminhos da flexibilidade prudente se descobrem. E os néscios podem rir. O riso dos néscios nunca teve qualquer importância, aliás. Também indiferente ao riso dos néscios, o Santo Patriarca Kiril I de Moscovo e todas as Rússias expressou as suas condolências e deixou clara a boa relação da Santa Hierarquia com a direcção política do Estado Norte-Coreano.

Thursday, December 22, 2011

NOVIDADES SOBRE O ASSASSINATO DE KADHAFY

Novidades tremendas sobre o assassinato asqueroso dos valentes Kadhafi. Novidades asquerosas. Um crime que tenta à resposta pela vingança mais desabrida. As horríveis novidades foram reveladas aqui.

O NATAL NA IGREJA DA PEDERASTIA

A besta papista foi – e a justo título- arguida de tortura de crianças e jovens diante do tribunal da opinião pública pela Amnistia Internacional, que pediu as respectivas inculpações judiciais. E neste último fim de semana o execrando Ratzinger encontrou-se já com reclusos italianos, a pretexto do Natal, cultivando o que virão a ser as relações sociais que o esperam – e à gentalha que o circunda - num futuro mais ou menos próximo.

ESPANHA EM CONTRA CICLO E TUGÁRIA COMO SEMPRE

Com dez milhões de votos, a maioria absoluta de Rajoy impõe-se a um país com 47 milhões de habitantes. E com radical estranheza da Catalunha, Navarra e País Basco, onde a "alternância" do poder em Madrid nunca entrou. Ganham sempre e sempre ganharam os nacionalistas catalães e bascos. O resto de Espanha está dividido a meio. O nordeste, não. Execram a Monarquia. Detestam a ficção (provincionalizante) a que os outros chamam Espanha e os separa da Europa. Isto não está bem. E não pode acabar bem. Já as pessoas normais que vivem na tugária aspiram a incluir-se sob a soberania da Coroa de Espanha. Os selvagens e labregos poderiam talvez ter um peso específico menor se aqui pudessem chegar os modelos da elegância de corte. Mas esta gente não terá grende sorte nos tempos mais próximos. Resta aí a retórica de caixeiro viajante de um primeiro ministro que, perto dos quarenta, conseguiu enfim que alguma escola superior (desconhecida) o licenciasse em alguma coisa (que se não sabe o que seja). Podia ser um vendedor de automóveis. Mas é primeiro ministro. E com um pouco de sorte o "estado" não lhe sobreviverá. Parece o inverso do percurso espanhol. Ali os neofranquistas talvez não sobrevivam às Espanhas. Aqui, talvez a tugária não sobreviva aos últimos dos seus imbecis. Assim Deus o queira. Bom Natal.

NATAL NO IRAQUE

Incapaz de retirar até agora, mas incapaz de manter a ocupação do Iraque, a besta americana retirOU. Com cerca de quatro mil e quinhentos mortos, mais de trinta e dois mil e quinhentos feridos, mais de setecentos e setenta biliões de dólares gastos e mais de cem mil civis assassinados, a besta americana foge. O último elemento da sua asquerosa sodadesca abandou o país. Com gritos e suspiros de alívio. Fica um país com inultrapassáveis problemas de radical oposição entre sunitas e chiitas, imposta pela ocupação militar externa, com os sunitas em resistência aberta. E os chiitas sem qualquer solidariedade com os interesses do até agora ocupante. Fica um país sem defesa face ao exterior, dividido entre a liderança referencial dos chiitas iranianos e a - por ora inútil, embora vagamente próxima - presença do sucessor do Sharif de Meca. A Casa de Saud tem fanfarronado muitíssimo do ponto de vista militar – participando na sangrenta repressão no Abu Dhadi que agravou exponencialmente as relações entre sunitas e chiitas – mas à medida que o declínio americano se acentua, os principes sauditas vão tropeçar com muita frequencia e muito visível nas próprias djilabas.

Sunday, December 11, 2011

É NATAL

E a igreja dos pederastas pendura gravuras de recém nascidos estampadas em panos vermelhos nas varandas dos seus devotos. Na tugária são poucos, felizmente, mas muito incomodativos. E isso recorda-nos uma das notícias deste ano. Um "senhor padre" muito importante dava cocaína às criancinhas que violava. Espera-se que apodreça na prisão.  Na tugária ainda não se conseguiu investigar o fenómeno. (Embora as vítimas estejam por todo o lado). Na imunda tugária o governo acabou de oferecer uns dinheiros à igreja dos pederastas para socorrerem os pobrezinhos. Deus sabe o que isso proporcionará a tais tarados. E traduzirá, pela certa, mais umas páginas do processo por vir.

A RENTABILIDADE ECONÓMICA DA JUSTIÇA

A Islândia iniciou os processos criminais contra a representaçâo local da corja. Assim demonstrando que a falência dos falsários dos bancos só é a falência do país enquanto o país o deixar. Pois agora está em franca recuperação. Um blogue inteligente, produz uma análise inteligente sobre a matéria. A Justiça é rentável. E a Revolução é a viabilidade económica possível.

A "CIMEIRA DECISIVA"

Foi - como se estava a ver que seria - a desagregação prefigurada da UE. O projecto político está condenado.  A demarcação de Inglaterra não é uma marginalização (embora possa causar problemas aos ingleses). E depois de varridos Merkel e Sarkozy (e já não falta muito) ninguém vai conseguir recuperar organizacionalmente da desagregação atingida. Estes dois imbecis deviam ser presos.

FOX NEWS E CNN: A FALTA DE IMAGINAÇÃO NO PODER

Os idióticos americanos continuam a desacreditar completamente os seus próprios meios de manipulação da opinião pública. Fox news, como toda a gente sabe, é uma projecção do que conta na direcção do partido republicano. E a CNN é uma projecção dos interesses do Departamento de Estado. O problema é que quando uma coisa e outra são assim conhecidas, o descrédito que adquiram pela prática canhestra, repercute nas respectivas tutelas. Não é nada boa ideia. Ora os idiotas decidiram tratar os protestos em Moscovo como se estes fossem motins (e não foram). Faltando-lhes imagens, trataram de emitir imagens de há um ano atrás em Atenas como se fossem imagens de Moscovo. Uma loucura perfeita. Russia Today (onde ninguém anda a dormir) tratou de examinar as coisas sem prejuízo de imediatamente de desmontar essa imensa bronca. E foi buscar opiniões que contam. E a recomendação não se fez esperar: não passa pela cabeça de ninguém levar aqueles dois a sério (a Fox news e a CNN). E é claro que não.  (Desde a famosa manifestação da praça verde filmada no Qatar que isso ficou claríssimo). E a continuar assim, nem o Belmiro vai querer aquilo seja para o que for. Aquilo vai acabar por nem sequer servir como meio de propaganda de um supermercado. 

Sunday, December 4, 2011

RESISTÊNCIA LÍBIA PROSSEGUE

Regista-se a inutilização do mais importante depósito de combustível em Tajura (15Km de Tripoli). Houve Combates ao sul de Tripoli. A tribo de Al-Obeida limpa Tobruk da escumalha do "CNT". Misratah está sob assédio militar permanente. E os bravos de Warfala continuam a exterminar a corja otanascoide em Bani Wallid. O Tenente-General Aïsha Kadafy adquiriu uma estação de televisão para serviço da resistência. Hoje foi um dia de boas noticias.

REPONDERAÇÃO

A conduta dos polícias, compreendendo a direcção política de Miguel Macedo, a direcção de Guedes da Silva, a assessoria no (falso) alarme de Asnes digo Anes (e outros das demais lojas "maçónicas" de polícias) essa conduta pode ver-se bem no óptimo trabalho de levantamento e prova feito pela malta do ciber-jornal 5 Dias. E perante tais factos é preciso passar às conclusões. E estas não devem ficar-se pelas meras interjeições (ao estilo da adequada classificação de "fascistas de merda", coisa aliás correcta porque se trata de gentalha que nem fascista consegue ser, em bom rigor, fascistas, sim, mas apenas na aspiração, e de merda, i.e. coisa bastante suja e provavelmente infecciosa, circunstância em que os perigos se não subtraem, mas se somam). O que se passa perante as insuficiências da língua dos polícias, acrescidos do revoltante abuso dos alarves na rua (verdadeiro lumpen, realmente), o que se passa é que estamos perante degenerados irrecuperáveis. Gentalha perversíssima que, de resto, se deixou perverter e colaborou na perversão própria. Estamos perante tais factos em condições claras de afirmar que a delinquência mais perigosa na tugária é a praticada pelo “chui” à moda da tugária. Tais criaturas são causa suficiente de vómito. Que nojo. Mas é importante notar que não há nada a fazer. A evidente degenerescência é irrecuperável. Mesmo que venha a haver “arrependidos” e esses nos ilustrem por depoimento credível que instruções receberam e em que circunstâncias, mesmo assim e mesmo esses, são degenerados irrecuperáveis. Podem ser eventualmente mandados tratar dos outros. Mas de mais ninguém.

Saturday, December 3, 2011

DIA INTERNACIONAL DO ATRASADO MENTAL

Pede-se hoje um pensamento e um gesto de solidariedade para este grande problema. Há uns quinze por cento da população do mundo directamente afectados. Na tugária, todavia, as percentagens estão de tal modo invertidas que parecem ter-se invertido também os parametros de normalidade. É dificil olhar o governo de coelho e continuar disponível para um gesto de solidariedade...

ELEIÇÕES RUSSAS

Nova derrota dos interesses americanos. Putin baixa a sua maioria. Mas não a perde. A Russia está a salvo. E com isto muitas coisas ficam muito mais seguras na cena internacional. Tal como Putin havia prevenido, os subornos para a desestabilização e descrédito do processo eleitoral saldaram-se num fiasco.

EGIPTO: O PARADOXO DO PROGRESSO REGRESSIVO

Nas eleições egipcias e até agora, as minorias cristãs têm todos os motivos para o simples pavor. Como, de resto, as minorias ocidentalizadas e bem assim aqueles cuja formação jurídica e política pressupõe a subalternização do factor religioso para que sejam possíveis a vida e o estado. Só restam a Argélia e a Síria com o modelo de laicismo Árabe, inspirado e assente algures entre os exemplos de Ataturk e Nasser. O reencontro do equilibrio não será fácil. O dispêndio em vidas humanas não se afigura suave. E a desordem é um dos objectivos do inimigo americano (que joga, em alternativa, a ditadura ou o caos, as duas circunstâncias onde se pode comprar e vender tudo de todos).

NOVA IDADE DAS AMÉRICAS

A fundação da CELAC na Venezuela é o momento mais importante da América Latina desde a queda das ditaduras militares. O mundo mudou, com isto e neste fim de semana, em Caracas. A expressa exclusão do Canadá e dos USA (e a morte da OEA deles) traduz definitivamente alguma coisa dificil de ignorar. Não é um detalhe.

FIND MADDIE!

Loading...