Sunday, February 6, 2011

DECEPÇÃO?

Numa república de pederastas, a coisa adquire significado político relevante. Eis a coisa: não há cérebros femininos em corpos de homem. Não há determinação neurológica ou congénita da “homossexualidade” (e a hereditária também não está demonstrada). Tais práticas são – como muitas outras – socialmente induzidas e são apenas práticas, i.e. coisas que fazem os que aceitam ou querem fazê-las. Isso é tudo. Há hoje – e provavelmente sempre houve - utilidades económicas, sociais, políticas (até) que suscitam a produção social de tal fenómeno comportamental. Isso parece ser tudo. Um tudo suficiente para gerar novos preconceitos. travestidos nas invocações "ciêntíficas". Mas não se trata de coisa que deva respeitar-se como abrangida por um “direito de opção”, nem que deva aceitar-se (absolvendo, o que sempre seria uma posição moral) como decorrente de uma determinação biológica. É coisa quanto à qual melhor faríamos se a olhássemos nos estritos limites do Direito Penal: inviabilidade (e inutilidade) da perseguição e processo, salvo em caso de assédio , pederastia e outros abusos tipificados.

No comments:

FIND MADDIE!

Loading...